Os estágios do desenvolvimento cognitivo - ZOOM Education

Os estágios do desenvolvimento cognitivo

O psicólogo Jean Piaget formulou a teoria que descreveu como as crianças e adolescentes pensam e desenvolvem o aprendizado, amadurecendo a lógica infantil até que se transforme em uma lógica adulta.
A partir do método de observação da educação infantil, ele percebeu que o conhecimento não está na crianças e nem no objeto que ela estuda, e sim na interação entre ambos. Assim, percebeu a necessidade de uma pedagogia experimental em que a criança é ensinada a pensar e definir o real, e não simplesmente a copiar. O objetivo da educação deve ser o de instigar as crianças para que aprendam por si próprias.
Segundo Piaget, para alcançar o sucesso do aprendizado e do amadurecimento da consciência de seus alunos, o professor deve respeitar os estágios de desenvolvimento cognitivo infantil:
Estágio sensório motor (0-2 anos)
Nesta fase, a criança se baseia em esquemas motores para resolver seus problemas práticos. Além disso, ela não consegue se referir ao futuro ou ao passado, vivendo apenas o momento presente.
Durante esta fase os bebês começam a desenvolver palavras e símbolos mentais, um processo chamado assim de simbolização.
Pré-operatório (2-7 anos)
Aqui elas passam a desenvolver as representações mentais internas, abrindo caminho para o desenvolvimento do raciocínio lógico posteriormente.
A partir do pensamento representativo, iniciam a comunicação verbal de forma egocêntrica, ou seja, a criança simplesmente diz o que está em sua mente, não se importando com o que o outro diz.
Nessa fase também é possível observar a incapacidade de descentração das crianças, por exemplo, quando elas só conseguem fixar a atenção para um aspecto particular de sua própria realidade.
Operatório concreto (7-11 anos)
Nesta fase, o egocentrismo entra em declínio e é substituído pelo pensamento operatório: a criança é capaz de ver o mundo pela perspectiva do outro e desenvolve a capacidade de argumentação de seu próprio raciocínio perante os demais.
Aqui surgem também os processos de pensamento lógico. Entretanto, ela ainda não consegue pensar no abstrato, tendo como base proposições. O pensamento é concreto, ou seja, só existe em base naquilo que existe e pode ser observado.
Aqui as crianças também iniciam o desenvolvimento de senso moral e o código de valores.
Operatório formal (12 anos em diante)
Nesta fase, a criança já é capaz de raciocinar logicamente e também de forma abstrata com base naquilo que não tem forma concreta. Além disso, a sofisticação do processamento conceitual e linguístico continua a crescer.
Surge também a reversibilidade, que está relacionada à reciprocidade de relações, aceitação e negação.

Por: ZOOM education for life