O que aprendemos com a educação híbrida - ZOOM Education

O que aprendemos com a educação híbrida

Powered by Rock Convert

Mesclar aulas presenciais com aulas online, isso é Educação Híbrida. Será que ela funciona mesmo na educação básica? A resposta é sim. E muito bem por sinal! Além de garantir a mesma eficácia do formato tradicional, ele ainda entrega benefícios próprios!

O termo ganhou grande destaque nos últimos anos devido a necessidade de adotá-lo na educação básica durante a pandemia e, posteriormente, na retomada. Mas, existe ainda mais um motivo para ele estar tão em voga até hoje.

Ele foi promovido de alternativa emergencial para modelo definitivo em várias escolas. E, apesar do receio de muitos, ele se mostrou bem adaptável ao ensino básico e ainda ampliou as possibilidades pedagógicas.

Educação Híbrida oferece possibilidades únicas de ensino

Graças a características inerentes ao próprio modelo híbrido, é possível levar para a sala de aula um ensino pautado no “aprender fazendo”, que coloca o estudante em um papel ativo, no centro do seu processo de aprendizado.

Isso ocorre devido a facilidade que o professor encontra, na estrutura híbrida, em incorporar metodologias que possuem essa premissa. Dentre elas:

  • Educação Invertida;
  • Aprendizagem baseada em problemas;
  • Aprendizagem baseada em projetos;
  • Inclusão educacional.

Essas e outras práticas educacionais ativas são eficientes não apenas para a transmissão de conhecimento, mas também para o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias para o mundo atual.

Educação Básica e Ensino Híbrido é uma combinação promissora

Listamos a seguir algumas das novas metodologias de ensino que o educador pode associar a esse modelo.

Sala de aula invertida

Essa metodologia é uma das que mais se adequa a Educação Híbrida. Sua proposta é inverter os processos pedagógicos tradicionais em que o professor explica a teoria em sala e passa atividades práticas para casa.

Nela, o estudante aprende a parte teórica em casa a fim de já chegar na aula preparado para executar atividades práticas, em grupos ou não. Pode parecer estranho, já que o aluno ainda não sabe nada sobre o assunto. Mas é aí que está a “sacada”.

Quando o estudante se depara com a necessidade de aprender algo novo, ele precisará usar ou desenvolver:

  • Habilidades de pesquisa;
  • Raciocínio lógico;
  • Gestão de tempo.

Mais do que isso, a pesquisa é um processo ativo, portanto, um método de aprendizagem muito eficiente para a aquisição de conhecimentos.

Novas metodologias de ensino associadas a Educação Híbrida

Muitas das metodologias ativas podem ser utilizadas na etapa de atividades práticas da Educação Híbrida e sala de aula invertida. Veja quais!

Aprendizagem baseada em problemas

O aprendizado ocorre a partir da experiência de encontrar soluções para um problema aberto determinado pelo professor.

O foco não é apenas a resolução do problema, mas também o desenvolvimento de habilidades como aquisição de conhecimentos gerais, já que para a resolução é necessário a interligação de diversas disciplinas.

Também trabalha-se as seguintes habilidades:

  • Colaboração entre colegas
  • Comunicação
  • Capacidade de defender ideias.

Afinal, nessa metodologia as atividades são feitas em grupo. A partir dele é possível trabalhar outros métodos como debates ou aprendizagem baseada em projetos.

Aprendizagem baseada em projetos

Interdisciplinaridade e investigação é a palavra-chave aqui!

A proposta é construir um conhecimento por meio da resolução de desafios e problemas do mundo real. Muito semelhante a anterior, mas com a diferença de que aqui deve-se construir um projeto de diferentes naturezas. Pode-se usar conceitos como:

  • Robótica;
  • Gamificação;
  • STEM;
  • Vídeos;
  • Representações tridimensionais;
  • Fotografia;
  • Podcasts;
  • Sites e blogs.

A estrutura conduz naturalmente o estudante a desenvolver habilidades como:

  • Fazer as perguntas certas;
  • Debater ideias;
  • Fazer previsões;
  • Planejar;
  • Experimentar;
  • Coletar e analisar dados;
  • Tirar conclusões;
  • Comunicar ideias e descobertas;
  • Desenvolver projetos.

Inclusão educacional é amplificada na Educação Híbrida

Aprender praticando é uma forma de inclusão em diversos aspectos. Por meio de softwares educacionais, é possível facilitar a aprendizagem de:

  • Alunos cegos ou surdos, uma vez que há vários recursos digitais de acessibilidade.
  • Alunos com transtornos de aprendizagem como a dislexia que tem dificuldade em aprender lendo e escrevendo. Mas, tem ótimo rendimento em atividades práticas e orais.
  • Alunos com TDAH que possuem dificuldade para prestar atenção e ficar muito tempo parado. Porém, se dão bem com projetos e problemas interdisciplinares devido à natureza criativa e dinâmica da atividade.

Esses são apenas alguns dos exemplos. Há vários outros casos que podem ser beneficiados.

Por fim, aprendemos que a Educação Híbrida tem muitos desafios!

Tais práticas pedagógicas são muito bem adaptáveis e até melhor aplicáveis quando adotadas em um contexto híbrido.

Mas, é claro que toda situação tem dois lados. Não podemos fechar os olhos para os desafios que envolvem a implantação dessa estrutura.

  • Incentivar a participação da família, pois o sucesso da Educação Híbrida depende desse apoio.
  • Encontrar soluções para a falta de acesso a internet e a dispositivos, problema enfrentado por várias famílias e escolas públicas.
  • Repensar “para ontem” a formação superior e continuada de professores.

Capacitar os docentes é fundamental, é preciso que eles saibam, por exemplo:

  • Como aplicar as novas tecnologias em favor do ensino e da inclusão
  • Descubram como criar trilhas e roteiros de aprendizagem no ambiente online para guiar os estudantes nas pesquisas e aprendizados teóricos;
  • Criar atividades interativas, especialmente para os alunos menores, como jogos, quizzes;
  • Utilizar elementos como vídeos, áudios e podcasts;
  • Desenvolver metodologias próprias para a parte digital da Educação Híbrida.

De qualquer forma, uma coisa é certa, a Educação Híbrida não é tendência, ela veio para ficar. Assim como uma série de mudanças que vêm ocorrendo em toda a sociedade.

Então, o mais importante agora é entender como colher bons frutos dele e superar tais desafios!

Por: Rosangela Rodrigues