Até quando teremos o ensino remoto? - ZOOM Education

Até quando teremos o ensino remoto?

Powered by Rock Convert

É impossível ignorar o quanto o setor da educação foi impactado pela pandemia do novo coronavírus. De acordo com a UNESCO, mais de 1,5 bilhão de estudantes tiveram suas vidas afetadas ao longo de todo o mundo, o que inclui também o Brasil.
Para diminuir a taxa de contaminação no país, as escolas tiveram de cancelar as suas atividades presenciais. O ensino remoto se tornou primordial para garantir que a educação seguisse adiante. Desde então, muitas mudanças aconteceram nesse cenário, entre avanços e retrocessos, e as famílias e escolas se perguntam quando o ensino ensino remoto deixará de ser necessário.
Acompanhe este artigo para entender um pouco mais sobre a situação atual e o que se espera para o sistema educacional no futuro.

Como as escolas se adaptaram ao ensino remoto

Em um piscar de olhos, os educadores e gestores de escolas se viram com a missão de migrar toda a dinâmica escolar para o ambiente digital. A nova realidade compreendia aulas gravadas em vídeo, encontros virtuais e plataformas de de gerenciamento de atividades e criação de aulas interativas, inovações estas que começaram nas propostas de educação à distância (EAD), principalmente em cursos superiores.

O maior impacto pôde ser sentido nas escolas de educação básica da rede pública. Muitas não estavam preparadas para colocar em prática o EAD de maneira eficiente. Sem falar dos vários adolescentes e crianças sem acesso a internet em casa.

Mas mesmo as escolas da rede privada foram afetadas e tiveram de encontrar formas de se adaptar. Algumas dessas instituições de ensino já aplicavam métodos didáticos que envolvem o uso de ferramentas digitais. Além disso, os próprios jovens e crianças da geração atual têm maior familiaridade com essas tecnologias.

Ainda assim, elas não estavam acostumadas ao ensino feito de forma totalmente online, portanto encontraram alguns desafios. Entre eles, a necessidade de rever seus métodos, refazer os planejamentos de aula e prover aos alunos uma plataforma de aprendizado virtual com as ferramentas necessárias para oferecer os conteúdos e atividades didáticas.

Um lento retorno da educação presencial

Com exceção do estado do Amapá, as aulas presenciais voltaram a ser uma realidade das escolas particulares do Brasil, mesmo que numa espécie de ensino híbrido, com uma mistura entre o presencial e o remoto. Os dados são da FENEP (Federação Nacional das Escolas Particulares).
Mas, apesar das flexibilizações que vieram com o avanço das vacinações no Brasil, a pandemia ainda segue, o que faz com que o cenário da educação seja bastante incerto. O fato é que nem todas as mudanças que as redes de ensino adotaram durante a pandemia tendem a serem desfeitas tão logo.

Expectativas para o cenário da educação

Desde o início da quarentena, muitas instituições de ensino vêm investindo nas tecnologias digitais. E, mesmo que essas adaptações tenham sido feitas para utilização temporária, alguns elementos dessa digitalização das escolas tendem a continuar em uso para aprimorar o processo educacional.
Ainda hoje, muitos pais preferem aumentar as medidas de prevenção contra a Covid-19 mantendo seus filhos de forma integral no ensino ensino remoto. Mas esse não é o único motivo.

A adoção do ensino ensino remoto e do ensino híbrido durante a pandemia mostrou aos pais, alunos e profissionais da educação que existem recursos tecnológicos muito eficientes para promover um aprendizado pleno nos alunos – mesmo que usados em conjunto com o ensino presencial. Confira os nossos artigos sobre o uso da tecnologia e das ferramentas digitais na educação para conhecer formas de se adaptar melhor a esse contexto.

Por: Equipe ZOOM education