10 motivos pelos quais o ensino de robótica nas escolas é importante

10 motivos pelos quais o ensino de robótica nas escolas é importante

Vivemos na era da tecnologia e os avanços significativos dos últimos anos não deixam dúvidas: nossa vida será cada vez mais digital. Trazer essa tendência para dentro da sala de aula é a melhor maneira de deixar os alunos cada vez mais preparados para o futuro, sem perder o foco do momento atual. Isso porque a inclusão de robótica nas escolas tem caráter interdisciplinar, uma vez que trabalha com conhecimentos da matemática, das ciências e da engenharia. Confira 10 motivos pelos quais incluir o ensino de robótica nas escolas é importante e precisa começar agora!

 

1 – Alfabetização digital

Ao trazer conceitos básicos de tecnologia para o ensino, a robótica nas escolas contribui para a desmistificação de que o assunto é complexo e que apenas os profissionais da área conseguem entendê-lo. Quanto mais cedo for inserido na grade curricular, melhor a ambientação com as linguagens e conceitos de programação e tecnologia em geral. Afinal de contas, o que se tem como realidade hoje é o contato com a tecnologia, via aparelhos celulares e smartphones acontecendo cada vez mais cedo no universo das crianças.

2 – Interdisciplinaridade

O ensino de robótica nas escolas não deve ser considerado como um acréscimo de disciplina, alheio às demais estruturas curriculares. Isso porque ele está associado a uma série de outros conceitos ligados à matemática, às ciências e até à Língua Portuguesa e pode ser estruturado inclusive como reforço a essas disciplinas. É a oportunidade de mostrar aos alunos, de forma prática, como as teorias de outras áreas de estudo podem ser aplicadas.

3 – Raciocínio Lógico

As noções de programação envolvem estruturas criadas e pré-estabelecidas para cada comando a ser dado/obedecido. Em outras palavras: cada linha é responsável por realizar uma determinada função dentro de um contexto mais amplo. Por si só, esse conceito já desenvolve a atenção e a necessidade de criar comandos que sigam determinadas lógicas. O ensino de robótica nas escolas reforça o desenvolvimento do raciocínio lógico, tanto na criação, quanto no desenvolvimento dos projetos. Quando os problemas surgem (algum comando dado não está retornando como esperado), é necessário buscar o ponto da cadeia que não está funcionando e, dessa maneira, perceber onde está o erro e corrigi-lo.

4 – Autonomia

Ao desenvolver atividades que resultem em uma criação própria, o aluno tem a oportunidade de realizar suas escolhas, colocar em prática suas ideias e gerir o tempo disponível para a conclusão de suas tarefas. Além disso, a robótica nas escolas incentiva o senso de responsabilidade sobre o projeto, o trabalho em equipe e a interação entre colegas necessária para o andamento das atividades. Essas são habilidades construídas ao longo do projeto e que serão de extrema importância em momentos futuros – quer seja na vida pessoal ou profissional.

5 – Trabalho em equipe

Outro ponto relevante do ensino de robótica nas escolas é o entendimento de que um projeto nunca é individual: todos os trabalhos devem ser desenvolvidos em equipe, a fim de fomentar a troca de ideias e conhecimentos, bem como a interação entre todos os participantes. Dessa maneira, é possível ainda estruturar quais os perfis se identificam com quais etapas do trabalho e oferecer a oportunidade de todos demonstrarem os conhecimentos adquiridos.

6 – Curiosidade

O trabalho com robótica nas escolas deve partir do princípio da curiosidade – e isso, todos sabem, é o que existe de sobra entre os jovens. Estimular as dúvidas e, principalmente, os caminhos para chegar às respostas é uma maneira de realizar a construção coletiva do conhecimento e manter uma participação ativa dos alunos no processo de aprendizagem.

7 – Criatividade

Outro mito criado acerca da tecnologia e do desenvolvimento de programas ou sistemas é o de que não há espaço para a criação. Ao inserir a robótica na escola, tem-se a oportunidade de derrubar essa ideia e mostrar que a criatividade é um dos pilares essenciais para o desenvolvimento de soluções na área tecnológica. As etapas de investigação e pesquisa, a necessidade da interdisciplinaridade e a possibilidade de dar vida às ideias dos alunos são fases essenciais do processo de criação e de onde podem derivar novas propostas e soluções extremamente criativas para as questões propostas pelos professores.

8 – Planejamento

O primeiro passo para iniciar um projeto é o seu planejamento. Qual o desafio? Quais os materiais necessários? Qual o conhecimento envolvido? Essas e tantas outras perguntas irão contribuir para uma premissa básica do ensino de robótica nas escolas: planejar. Entender as demandas, distribuir as tarefas e seguir um cronograma pré-estabelecido são atividades inerentes a um projeto de robótica e, sem dúvida, a todos os demais projetos ao longo da vida. É claro que, para essa etapa, a disciplina conta com o apoio dos professores ligados às áreas, mas, é partir daí que se estabelece o exercício de entender o que se pretende fazer e o que é possível fazer.

9 – Construção do aprendizado

Ao estabelecer um projeto, definir os prazos, entender os conhecimentos necessários para atingir os objetivos propostos, o aluno se transforma no protagonista do processo ensino-aprendizagem e a robótica na escola oferece todos esses recursos. Da mesma maneira, o estabelecimento de horizontes – onde quero chegar e como posso chegar – desenvolve a habilidade de pensar a longo prazo e estabelecer atingimento de metas. Todas essas competências contribuem para a formação dos alunos de maneira mais ampla e com a possibilidade de encarar desafios futuros com ferramentas eficientes de organização e foco em resultados.

10 – Mercado de trabalho

Embora esse não costume ser o foco inicial de um trabalho de robótica nas escolas, não há como negar que o mercado de trabalho na área de tecnologia está em crescimento expressivo. Todas as tendências apontam para a estruturação de uma vida cotidiana cada vez mediada pelas mídias digitais e pelos avanços nas áreas digitais (principalmente os recursos de Inteligência Artificial). Por esse motivo, estar preparado para o mercado de trabalho do futuro significa estar preparado para lidar com novas tecnologias. Quanto mais cedo e mais naturalmente o assunto for introduzido, maiores serão os ganhos a todos.

 

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus colegas educadores. Deixe um comentário abaixo!

Até a próxima!

Por: Zoom Education